Admeto e Alceste



De novo aquele tio sacana do Jasão, o Pélias, falei dele ontem... Esse cara tinha uma filha chamada Alceste e ela arrumou um pretendente chamado Admeto.
Admeto era o Rei de Feras, na região da Tessália, um herói argonauta e grande amigo do deus Apolo.
Quando ele quis se casar com Alceste, Pélias exigiu que ele aparecesse numa carruagem puxada simultaneamente por um leão e um javali imensos (esses caras realmente não tinham nada pra fazer, gente, não é possível tanta imaginação...). Não era tarefa fácil, mas como quem tem amigos tem tu-do, Apolo ajudou e ele conseguiu o carro puxado pelas feras, dobrou o chato do Pélias e casou com a Alceste.
Os dois viveram felizes e satisfeitos até mais ou menos a página oito, quando, um belo dia, ele adoeceu, foi ficando doente, doente... As Moiras apareceram avisando que o fio da vida dele seria cortado na noite seguinte, que ele deveria esperar a Morte vir buscá-lo. Apolo, mais uma vez, apareceu e convenceu as Moiras (tem uma versão que diz que ele deu um fogo nelas, que ficaram muuuito bêbadas) a darem um prazo pra que ele encontrasse alguém disposto a morrer no lugar dele.  
E o homem tentou. Depois de pedir a todos os amigos, foi pedir aos pais e bingo! Ninguém se habilitou. Então Alceste disse que ela morreria por ele e imediatamente caiu doente e todo mundo sabia que a Morte viria buscá-la na noite seguinte (se tem alguém que respeita muito o horário de expediente é a Morte).
Alceste estrebuchando na cama, Admeto arrancando os cabelos e aparece o Hércules para uma visitinha de cortesia. Quando ele sabe da história toda, fica esperando a Morte e luta com ela até ela desistir ir embora deixando os dois em paz. Outra versão diz que ele desceu ao inferno e trouxe Alceste de volta com a ajuda da Perséfone. Mas o fato é que nem Alceste, nem Admeto morreram dessa vez.
Tem coisa na vida que é inevitável, tudo bem. Mas toooodo o resto é, se você realmente quiser. E o que você deseja é o que importa. Nietzsche diz que não existe desejo sem coragem. Quer? Trate de ter coragem então.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As últimas nuvens azuis no céu da alameda principal.

Deméter