Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Sobre o saber desprovido de função.


Já contei que eu faço coleção de dicionários?
Pois faço.
Tenho de mitologia, de citações, de símbolos... até de suicidas ilustres!
Pra português tenho uns bem bons, mas como sou pragmática, sigo o padrão Houaiss pra tudo.
Tava aqui dando uma olhada no de citações, leve como uma pluma (como se isso fosse minimamente possível pra alguém que acumulou diversas arrobas nos últimos 15 anos) após dar fim a um entrevero infanto juvenil que ajudei a protagonizar.
Procurava uma citação bacana pra hoje e dei de cara com uma das maiores bobagens que já li na vida:

“Um sábio não costuma ficar contente quando lhe acontece algo agradável, nem perturbar-se quando lhe acontece algo desagradável”

É um trecho do Bhagavad Gita (obra indiana super conceituada pelos budistas e venerada como escritura sagrada pelos brâhmanes).

Agora (como dizia o Grê quando pequeno, no alto de sua indignação) me perguntem: dá pra ser mais idiota?
Eu prefiro passar a vida tomando sorvete pela testa a ficar assim sábia.
Esse viés acima do bem e do mal é tão ridículo, que dispensa comentários.
Melhor ser falível, mudar de idéia, confessar pecados e viver feliz da vida sem o peso dos erros nem dessa sabedoria maluca que ninguém (que não tenha uma prescrição tarja preta no criado mudo) quer.

E viva os sentimentos disparatados e a liberdade de errar e consertar e andar com a fila.

Palavra chave: Ufa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Sobre a importância de mandar tomar no cu.


Como prometido:

Eu sempre achei que cu devia ter acento (sem tocadilhos).
Cú parece muito mais com cú do cu, enfim...

A peça “Se piorar estraga” estreou na terça no teatro do Shopping Frei Caneca (que é um puuuta teatro por sinal). A Claudinha Urbaniski que é uma fofa completa e a melhor atriz que existe, além iluminadora tarimbadérrima (só não digo que é a maior, que ela é tão pequenininha...), garante ingressos pras estréias bacanas.
A peça é boa.
Sem grandes pretenções, Cris Nicoloti (que nós cansamos de ver vendendo de tudo no Shop Tour) manda bem num quase monólogo que culmina com a canção fenômeno do Youtube.
A direção é da Fafi Siqueira (que tava sentada do meu lado e ficou tendo chiliques de diretora em noite estréia o tempo todo) relevemos...

Mas o bacana é o recado.
Mandar tomar no cu, realmente é uma libertação.
Quando você está de saco cheio, ou no ápice da indignação, mande tomar no cu!
Além de despachar o Exú que tá no seu pé, também anda com a fila.
Tem um viés de “chega, não quero mais”, no vai tomar no cú.
Perdoar um desafeto liberta, e a boa educação e o catolicismo recomendam.
Mas esta que vos fala, (que embora freqüente a missa every single sunday e seja chapíssima dos padres, é uma pecadora confessa – ai outro trocadilho) diz que um vai tomar no cu bem mandado faz um bem enorme (aí depois você perdoa e todo mundo fica contente).

Elevemos nossas preces à Santa Paciência e:
O marido tá estressadinho? Vá tomar no cu.
A filha perdeu o terceiro celular com câmera em dois meses? Vá tomar no cu.
O professor te deixou de exame por uma merreca? Vá tomar no cu.
A visita chegou pro jantar (marcado pras oito) dez horas da noite? Vá tomar no cu.
A doida largada pelo teu amigo fica mandando scrap pra ele na tua página? Vá tomar no cu.
O governo tá cobrindo de fumaça cênica a apuração do escândalo do Renan Calheiros? Vá tomar no cu.
A empregada quebrou (outra) cerâmica que vc pintou? Vá tomar no cu.
O Itaú inventa taxa de saque em dia de chuva? Vá tomar no cu.

Seu jeans encolheu durante o final de semana e tá injustamente apertado?Vá tomar no cu.

Eu te encho o saco? Vá tomar no cu.

Faz um beeeem pra pele... capaz de botar um potão de Dior Prestige Cure Intense no chinelo!
Acreditem usem e recomendem!
Não gostaram do texto?
Vão tomar no cu!!!!!!!

quarta-feira, 27 de junho de 2007

São Bandidos sim!


Ontem fui ao Teatro pra estréia de uma peça bacana, e depois jantar e namorar no Ritz.
Cheguei feliz da vida, já planejando o post de hoje que seria inteiramente sobre a peça (q vale as considerações de um post exclusivo, mas que vai ficar pra amanhã).
Entramos em casa (as crianças ficaram sozinhas – não são mais tão crianças assim), subimos pro quarto e a caminha das cachorras (tenho duas schnauzers mini, que dormem no meu quarto) não estava lá. Fui até o quarto do Gregório (meu mais novo, de 12 anos) e lá estava ele dormindo abraçado com a Sophia (a mais velha, de 16) e a caminha das cachorras aos pés da cama dele. Os quatro dormindo felizes da vida. E um bilhete me avisando que ele estava "tomando conta das meninas".
O Gregório é um menino absolutamente normal pra idade dele, com UMA enorme diferença. Tem um puuuta coração bom. Eu educo da melhor maneira etc etc etc... mas isso não é o cerne da questão. O cara é bom. Puta que pariu, os dois são. São incapazes de detonar um amiguinho, de perseguir, de judiar, ou de passar batido por um cachorro ou gato sem dono... Não é mérito meu, é deles. A Sophia é igual.
E eles não são dois bocós, o Gregório é todo metido a roqueiro é beeem popular na escola, e a Sophia também se vira bem...hehehe
Voltando pra noite de ontem, eu deitei e liguei na Globo News (estive meio fora do ar por dois dias, preparando a qualificação do mestrado) e vi a reportagem dos imbecis cariocas que espancaram uma doméstica e fiquei bem puta, mas tava morrendo de sono e acabei dormindo em meio ao meu azedume.
Hoje acordei e li a Folha, e cada linha dessa história medonha. Agora, tirando a parte boa que é o taxista que anotou a placa, e a lucidez perturbadora da vítima, aparecem os pais dos agressores pedindo que eles sejam tratados com deferência por serem crianças, estudantes e trabalhadores.
Puta que pariu, não é pra menos que não se pode mais sair de casa. Esses jovens babacas, nunca ouviram uma crítica, nunca foram proibidos de nada, nunca passaram vontade, nunca sentiram frustrações que poderiam traumatizar os tesourinhos.
Prendam os filhos, mas prendam junto os pais.
Onde estão os meninos que colocaram fogo no índio Galdino em Brasília?
É um circo assustador de bobagens.
Eles afirmaram que pensaram tratar-se de uma prostituta, na mesma medida em que os bandidos do planalto central acharam que Galdino era um mendigo.
Ahhh, então bater em puta e incendiar mendigo pode.
É uma merda. Essa meninada não está acostumada a ser contrariada nunca. Uma menina (menina mesmo, deve ter no máximo 20 anos) da minha classe fez uns comentários homofóbicos e de mau gosto contra um colega (num festival de maus entendidos e más interpretações) e eu interferi num email pra todos, pedindo que parassem pra pensar no nível daquela bobagem.
Talvez fosse mais inteligente eu não ter me metido, mas eu simplesmente não agüento ver essas coisas. O resultado foi o pior possível, a menina ficou mortalmente ofendida fez um lobby (inócuo) contra a bruxa intrometida aqui. Virei a sabidona, a metida a jovem, a metida a experiente, a gorda cheia de teias, mal amada, dona da razão e sei lá mais o que. O tanto que ela se doeu foi assustador. E isso não tem mais fim, virou amor de perdição...hehe
Me entristece pensar que o simples fato ouvir uma crítica, coloca essa meninada assim furiosa. Eles agem como se o mundo fosse uma sucessão de portas abertas à disposiçao da vontade deles, e nós, pobres mortais, fossêmos brigados a recebê-los com alegria..."quanta honra".

Na mesmíssima medida em que me entristece saber que os pais têm medo dos filhos, e que estão todos errados.
O Brasil tem 9 milhões de jovens entre 15 e 22 anos que estão desempregados; 1,2 milhões deles são analfabetos.

Me meto sim, e vou morrer reclamando e apontando o dedo pro que eu achar que tá errado.

Os outros, eu não sei, mas eu tenho dois filhos pra educar.
E aí?


Amanhã prometo um texto leve sobre "Se piorar estraga".



terça-feira, 26 de junho de 2007

Ai o Orkut...


Entrei em 2004, e lembro perfeitamente de como fiquei feliz no dia em que vi que tinha 11 amigos!!!
Hoje tenho um pouco mais de onze amigos e uma comunidade de Beatles, que é a maior da rede (dá dor de cabeça sim, mas dá muito mais alegrias).
Mas Orkut é pra fazer amigos e nisso ele é ótimo!
Quando saiu o livro do Madame Satã, em agosto de 2006, um candidato a galã da época ficou puuuto porque não foi citado por nenhum dos milhares de entrevistados e ficou fazendo campanha contra o livro (no maior estilão esqueceram de mim).
Um dos amigos desse esquecido, um cara do Guarujá que escrevia muito bem era muito engraçado, além de ter um monte de coisas em comum comigo, acabou roubando meu pobre coração de pedra.
Acabamos super amigos, mas ainda não conseguimos nos ver (ai Geraldo, ta difícil, né?).
Mas isso não foi tudo (com o Geraldo sempre aparecem bônus), ele tem milhares de amigos; e três das amigas dele (pra ser sincera, nem lembro exatamente como começou) acabaram ficando amigas minhas!
Quando o Geraldo tentou suicídio, fomos nós - na nossa rede de emails e telefonemas – que levantamos a lebre de que alguma coisa tinha acontecido.
Amigas queridas de infância, sabe?
A Pat e a Pituca, fazem a linha moças doces e educadas, a Reco é mais pilhada (e tem um a filha de enlouquecer) e é ótima.
E e adooooooooro as três.
É até engraçado, mas a ligação existe...
É um parto pra gente conseguir se reunir (quase sempre a empatada é a mamãe aqui), e eu já tô contando os dias pro próximo encontro de mosqueteiras.
E é isso.
Tem muita gente louca no mundo, tem mesmo.
Mas tem gente bacana, leal, educada, dedicada, querida e atenciosa... basta a gente procurar (e abrir a guarda).

Senhoras e senhores, com vocês: Patrícia, Maria Regina e Maria Cecília!!

domingo, 24 de junho de 2007

Tiro no pé.

Eu fico aqui pensando por que as mulheres têm comportamentos tão imbecis.
Homens fazem coisas estúpidas que nós não fazemos, tudo bem. Mas eu nunca vi homem se voltar contra a espécie e fazer lobby pela manutenção da ditadura da beleza estereotipada. Vocês já viram homem falando mal de carecas, ou de barrigudos? Eles simplesmente não fazem isso.
E não há devaneio sobre a natureza humana que explique meninas detonando as gordas, as barangas , as feias e as de “cabelo ruim”.
Se hoje vocês são obrigadas por lei a andar com os cabelos lisos feito uma régua (e esturricados de tanta chapinha e escova progressiva) e as calças não deixam ninguém agachar sossegada a culpa é de cada uma de vocês que se comporta como se a aparência fosse tudo.
Se “ficam” com os meninos na segunda, e na terça ele não sabem o nome de vocês, a culpa não é deles.
Eu fico doente quando alguém se refere a mim como gorda. E daí? Gorda e o que mais?
Pelo amor de Deus...
Eu sou gorda sim, e quando tiver saco de verdade pra mudar isso, eu mudo se quiser (se puder, se der, sei lá...). Há vinte anos eu era a imagem da gostosura, hoje sou gorrrda. Garanto que foi tudo o que mudou (o resto só melhorou) hehe, e daí????
Mas o problema aqui não sou eu, o problema é a falta de visão, a falta de consciência.
Como a gente vai ensinar as meninas a serem mulheres, e tudo o que isso significa se a única coisa que interessa pra vocês é ser magra, gostosa e tirar foto de biquinho e língua pra fora (no maior estilão pornô de quinta categoria)?

Imagine que você arrume uma doença de pele maluca que te deixe com o rostinho coberto de marcas estranhas. Quanto tempo suas amigas ficariam do teu lado? E o namorado suuuuuuuuper fofo e sarado? É preciso ter cuidado com o que a gente planta.
Como essas meninas vão saber o que significa o feminino, se vivem numa opressão, numa ditadura infernal que vocês mesmas apóiam?

Eu acho que ser gorda, feia ou ter cabelo crespo são infinitamente mais negócio que ser preconceituosa, ignorante e burra.

A gente tem que ser mais consciente, menos inimiga da própria espécie.
Ser mulher não é fácil, nem difícil.
É maravilhoso.
Mas eu não entendo em que parte da história, a antropofagia virou moda.

Essa da foto, pra quem não sabe, é a Beth Ditto, cantora britânica da banda indie Gossip, que foi considerada a personalidade mais cool de 2006 pela NME (New Musical Express, a grande bíblia da música), por não ter vergonha de seu peso nem de sua sexualidade.
Não faz concessões, tá pouco se fodendo com o que podem achar. Ela é que sabe o que interessa. Quem quiser gostar dela, tem que ser como ela é... deu pra entender????

Pelo amor de Deus, cuidado com o comportamento e posicionamento de patrulha da estética. No mundo tem lugar pra todo mundo (e lugares bons, primeira fila). Quer vocês queiram, quer não.

Palavras chave:
Anorexia, bulimia, vício, depressão, suicídio,preconceito, ignorância, intolerância e estupidez.