Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sábado, 28 de julho de 2007

Saneamento já!


Voltei!!!!
Descansei, fui pra casa da minha irmã (que sapateia soberana no meu coração de pedra) namorei passeei, inverti os móveis do salão, troquei a Net pela Sky, pintei uma parede de casa, li e foi tudo!
Depois eu verso sobre Campos, sobre o frio, sobre aviões que são derrubados pela incompetência de quem deveria cuidar que eles voassem, e sobre tudo o mais...
Fui no cinema ver Saneamento Básico, esperando um filminho bacana, e saí do cinena pasma com tanta bacanura!
Sim, meus caros, existe Brasil sem carioquês, sem armas, sem favela e sem sotaques nordestinos.
Existe um Brasil simples, onde não faz um puuuta sol e não tem praia.
Dá pra sair do eixo obrigatório: pau a pique nordestino, calçadão carioca & trânsito paulistano.
Existe um Brasil europeu. Um Brasil lindo de morrer.
Eu, que tava de saco cheio de Pan e de “bem amigos” e aquele ranço patriótico wanna be Copa do Mundo... (ai que fiasco) morri de orgulho!!!
O Jorge Furtado que fez o filme (depois do Homem que Copiava- que é bom , mas me faz sofrer até hoje com o mistério da galinha no armário da cozinha – se alguém entendeu aquilo, por favor me explique)e os atores todos.
O filme é um retrato fidelíssimo desse nosso país.
Uma crítica tão suave, tão afiada tão exata...
Vá lá que o filme tem uns cortes meio tropeçados, imaginei que a pós produção tenha sido feita na carreira.
A fotografia é limpa e linda. A trilha é toda em italiano...Io che amo solo te... aiai
Tem uma cena do Wagner Moura de moto, numa estradinha daquelas... lindo lindo lindo!
O filme é o triunfo da beleza do simples.
O Paulo José é tão doce e frágil que eu passei metade do filme com medo de ele morrer...(igual a Mr Holland Opus).
Numa determinada cena, o Lázaro Ramos fala que ta feliz de mostrar pra todo mundo que é possível ser artista sem ter que ir pra Porto Alegre (eles tão numa vilinha perto de Bento Gonçalves).
E é isso mesmo.
Dá pra fazer direito sim, sem ser Hollywood nem Globo.
Dá pra ter uma vida simples.
Dá pra não almejar o mundo inteiro e abraçar aquilo que os braços dão conta.
E dá pra ser feliz com pouco, se esse pouco for bem escolhido.
Saneamento Básico.
Assistam.