Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

K C2h4



Eu era maluca pelo Caetano Veloso quando era mais nova, e inventei de escrever o nome dele assim, quando descobri que C2h4 era a fórmula do etano, daí KC2h4 era como eu escrevia Caetano. Nem sei se tá certo, mas o fato é que há uns 25 anos pelo menos, eu escrevo assim.
Enfim... dona Canô fez 100 anos e ele foi capa da RollingStone do mês passado ( numa foto que eu adorei e meu amigo Alex odiou). Esse mês tá lá Grazi (bolsa família) na capa, numa foto linda de morrer, vestindo umas poucas pinceladas bem dadas.
Eu sempre gosto de ler as cartas dos leitores, que é um termômetro bacana pra saber como o veículo lida com críticas e bajulações em geral. E tava lá uma carta de um fulano querendo registrar seu “espanto" com a RS por ter se rendido a uma capa com o Caetano Veloso e tudo o que ele simboliza (coronelismo e cultura preestabelecida) .
Espantada fiquei eu. Quantos anos esse idiota deve ter? 18? Embora eu ache que com essa idade eles já deveriam ter aprendido a pensar antes de falar bobagens... Dou 18 no máximo.
O Caetano é o Caetano, embora eu não vá mais aos shows dele há alguns anos, por não ver mais muita novidade no repertório, sei muito bem que ele já cumpriu seu papel.
O cara já esperneou quando foi necessário e saiu daqui escoltado (o Chico Buarque que tem fama de ser muito mais politizado- saiu de fininho por conta própria, antes que a coisa fedesse pro lado dele).
Alguém conhece outro artista brasileiro que tenha dito metade do que ele disse em Black or White, Podres Poderes ou no (hoje) batidérrimo discurso de É proibido Proibir?
Eu é que me espanto em ver essa juventude de bundões arrumadinhos com carros filmados, profundamente decepcionados com o resultado da questão do Renan Calheiros enquanto vão pro shopping gastar dinheiro.
Bando de idiotas!
O Caetano já fez mais por esse país que qualquer outro artista. Não faz diferença se eu concordo, se acho que o discurso dele foi pertinente ou oportuno. Mas o caso é que ele fez alguma coisa, cantou, reclamou e se posicionou.
Na minha modesta opinião, a única grande rata da vida dele foi casar com aquela tresloucada, mas isso é passado...ele já pulou fora.

E pode passar o resto dos dias dormindo na rede em Santo Amaro da Purificação que o serviço foi muito bem feito.
Ninguém neste país se posiciona, mas criticam que é uma beleza.
A todos, o meu mais sincero “Vão tomar no cú”.


"Só um genocida em potencial, de batina, de gravata ou de avental,
pode fingir que não vê que os veados,
tendo sido o grupo vítima preferencial
estão na situação de liderar o movimento para deter a disseminação do HIV.
Americanos são muito estatísticos, tem gestos nítidos e sorrisos límpidos.
Olhos de brilho penetrante que vão fundo no que olham, mas não no próprio fundo.
Os americanos representam grande parte da alegria existente neste mundo.
Para os americanos branco é branco, preto é preto e a mulata não é a tal.
Bicha é bicha, macho e macho , mulher é mulher e dinheiro é dinheiro.
E assim ganham-se barganham-se perdem-se concedem-se e conquistam-se direitos, enquanto aqui embaixo a indefinição é o regime,
e dançamos com uma graça cujo segredo nem eu mesmo sei.
Entre a delícia e a desgraça, entre o monstruoso e o sublime.
Americanos não são americanos, são os velhos homens humanos
chegando, passando atravessando.
São tipicamente americanos.
Americanos sentem que algo se perdeu, algo se quebrou, está se quebrando”

Continuo sem internet, apanhando da discada. A Anatel jurou que até 4ª feira resolve (embora a essa altura eu duvide...)