Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Aventura Natalina


Como propus no post sobre o Natal, fui ao correio e peguei uma das tantas cartinhas que as crianças endereçam ao "Papai Noel, Polo Norte".
O meu menino chamava Giovane e pediu a coleção de cartas do Pokémon. Não precisei de muito tempo pra saber que não existem mais esses cards, mas o Grê tinha todos eles quis dar de presente.
Fomos ao centro de Tremembé (temos um comércio local bacana) e compramos uma caixa de carrinhos Match Box e uma camiseta do Ben 10 (segundo a vendedora é o personagem que os meninos de 10 anos mais gostam). Passamos no supermercado e compramos um Fiesta, uma coca cola família, uma chocotone, uns sacos de pirulito e flores.
Achamos que seria mais negócio ir à noite, já que na carta ele falava que a "mãe" não tinha dinheiro pra comprar presentes. Deduzi que não tinha um pai na jogada e que ela deveria trabalhar durante o dia.
O detalhe é que o Giovane mora no Cingapura do Edú Chaves e ir lá ás oito e meia da noite exige alguma coragem. Não tem um único poste de iluminação que funcione em todo o quarteirão e os "nativos" das redondezas olhavam pro Scenic com três perdidos cheios de pacotes com cara de poucos amigos.
Graças aos céus, assim que achamos o Cingapura, os moradores foram mega bacanas e nos ensinaram como chegar ao bloco 8!
Desci do carro, saquei os pirulitos e fui distribuindo e puxando conversa com a meninada que logo foi buscar o Giovane e seus irmãos (a mãe estava trabalhando ainda).
Assim que ele apareceu eu perguntei:
-Você andou escrevendo cartinhas pro Papai Noel?
Ele abriu o maior sorriso, virou pro irmão e disse:
-Eu não te falei???
Ele adorou os presentes, principalmente a camiseta e o chocotone. Uma graça de menino!

Foi muito legal, todo mundo em volta e eu contando lorotas que o Papai Noel é meu amigo e tinha pedido pra eu entregar os presentes que o Giovane tinha pedido.
Sentamos na calçada (o Caio dentro do carro, com o motor ligado...Esse meu marido é um covardão...) ele abriu os presentes, eu distribuí o resto dos pirulitos, dei um beijo nele e viemos pra casa mais leves e achando muito mais fácil ser feliz.
É como disseo o Giovane:
-Eu não te falei???
beijos gente e até 2010.