Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Amores


Eu tenho um amigo, dos tempos de escola, de quem eu gosto MUITO e sempre que encontro, volto achando ele ainda mais genial, sensacional e sabido.
Não bastasse ele ser o máximo, a mulher dele é uma graça, uma fofa e os filhos são uma delícia.
Voltei pra casa ontem feliz da vida por saber que a gente soube construir vidas bacanas com gente ótima, e que ainda vamos ver muita coisa, todos juntos.

Todos os meus beijos de hoje são pros quatro: Flávio, Denise, Gui e Felipe.

domingo, 7 de junho de 2009

Make you own kind of music


A primeira partida de paciência spider eu sempre ganho de cara. A cabeça está fresca, está pronta, a programação responde 100%.
A primeira música, como os primeiros pensamentos, são os melhores e os mais férteis e bem interpretados. Não que dispensem a lapidação das horas.
A dor é a amiga da escrita profunda. A dor de amor é a melhor.
Quem sofre, quem tem vontade, como tem ódio profundo, escreve melhor.
Não se compara a profundidade que a infelicidade traz com a percepção que a felicidade desperta, essa mais vaga e alentadora, mas infinitamente menos interessante e impactante.
Engraçado pensar no que move as pessoas; o que moveu Baudelaire era parelho ao que movia Clarice Lispector e Wilde.
Tem dias em que você simplesmente sente que tem poder. Depois de tanta tormenta, percebe a força que construiu em sua casa, e da incrível família que você sedimentou. Que tudo que seu amor plantou, nasceu, cresceu e agora enfeita cada dia da sua vida sensacional.
Sente que suas primeiras opiniões sobre as pessoas são sempre as corretas, e que você simplesmente é capaz de fazer qualquer coisa. Aí vem o medo de não dar tempo de fazer tudo.
Eu quero tanta coisa, que certamente não vou ter tempo de tudo.
É uma pena.
Bom domingo.