Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Eureca! Eureca!


Eu sempre achei que se tivesse mais envergadura moral e fosse beeem mais dada a formalidades, poderia ter feito direito. Seria criminalista, na certa. Adoro histórias de advogados e seriadinhos também. Estou em plena fase Damages...

Enfim, hoje no jornal li duas notas que mostram dois extremos de perfil dosprofissionais da área.

Um juiz de Roraima (eu sei que sou super preconceituosa, mas quando li, pensei: "só podia ser em Roraima"...) condenou o Google a pagar uma multa diária de mil reais por disseminar fofocas pelo Orkut sobre moradores da sua cidade natal. É claro que cabe recurso, mas é de foder. Determinado tipo de categoria profissional deveria estar acima da possibilidade de existência de picaretas. Não deveria existir médico, professor, nem juiz picareta (a responsabilidade é grande demais pra querer ser humano nessas horas). Jornalistas e psicólogos picaretas são tão comuns que a gente nem liga mais (como com mecânicos e pedreiros).


Maaaaaaaaaaaaaas, por outro lado, um cara (Juiz Federal) do Rio Grande do Norte, condenou três hackers dados a roubar senhas pela internet a ler e resumir de três em três meses, clássicos da literatura designados por ele. Dá pra ser mais genial????? E ainda disse mais, que o judiciário tem que aprender a criar mecanismos que permitam ( e obriguem ) que os acusados reflitam. Esse gênio chama Mario Jambo, e é um cara que já andou mandando jovens presos por tráfico pro serviço comunitário. Adorei!!!!


Essa é pra gente pensar: li no final de semana, num editorial não sei onde, a solução pro sistema de ensino público no Brasil. Basta OBRIGAR todos os políticos eleitos a manterem os próprios filhos em escolas públicas. Fácil fácil. Garanto que resolve num triz, toooodinho o problema.


beijinhos!