Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Aviso


Eu sempre leio obituários.
Todos os dias.
Acho o máximo a cerimônia que os americanos fazem, quando falam (bem) sobre o falecido...
Sempre penso que, quando morrer, quero uma notona no jornal , afinal o mundo estará sendo privado da minha sensacional presença e participação... Depois, eu posso ter um monte de defeitos, mas sou animadinha e alguém há de sentir falta dos meus palpites e do meu bom humor.

Daí, a pobre da Farrah Fawcett, que comeu o pão que o diabo amassou com um câncer reincidente, morre. Mal começam a pipocar as notícias e homenagens e o Michael Jackson morre do coração, sem mais aquela e acaba com a festa da loira.

Já vou avisando: se alguém mais importante se atrever a morrer no mesmo dia que eu e abafar meu sucesso póstumo, vai ser infernizado pela eternidade.

beijos

(na foto, eu e a Edna na fogueira sábado, clicada pela Inês - que manda tão bem que dá até raiva...)

terça-feira, 23 de junho de 2009

Sobre o direito de surtar


A vida é uma merda: a gente faz o que não quer, acorda quando ainda quer estar dormindo, vai dormir quando ainda nem tem sono, cumpre as obrigações, engorda, envelhece, atura, repete, releva etc.etc. etc.
Daí chega um dia em que você explode por conta de uma semente de amora na geléia e a pessoa que está com você resolve (por pura falta de solidariedade e simancol) ter um chilique por conta do seu chilique.
Não é de foder???
Chamar uma pessoa como eu de louca é o supra sumo da redundância.
E não me dar o direito de ter um chilique sossegada é o cúmulo da sacanagem.
Prontofalei.
beijos azedos

domingo, 21 de junho de 2009

Diário de bordo


Semana truncada com um ombro funcionando e outro não...
Minha dieta vai bem e eu tô adorando não ter empregada, o Caio adora lavar louça (desde que ele tenha tempo, tenha saco, esteja a fim etc e tal) o mesmo se diz dos dotes auxiliares das crianças. A Sophia tem TOC e fica tirando o pó da folha da violeta, e centraliza milimetricamente a colcha das camas, enquanto o Gregório sofre e se lamenta por ter de tirar a mesa...
Não sei quanto tempo vou conseguir ficar só com a faxineira... Aiai
E ainda existe o trabalho, o blog, a facudade e minha mania de ter vida pessoal!!!

Sábado tivemos a festa de aniversário da inquilina (mãe do Bruno), que é uma querida. Quanto mais convivo, mais gosto. Foi muito divertido.
De lá, direto pra fogueira de aniversário da Leda, que é sempre uma delícia. Consegui conversar com a Inês por mais tempo que os poucos minutos de costume, demos risadas e fizemos pedidos; até que o Bruxo Oficial condutor do ritual do solstício se estressou com o Careqa e bateu em triunfante retirada. No fim foi só mais um tempero, e assunto pra mais conversa.
As pessoas se estranham, tem santo que não bate e não adianta sapatear.
A vida é mesmo assim, e isso nem é tão importante!
Importante é conversar, é sentir que existe paridade de sentimentos, de experiências e sensações.
Isso é que faz a gente se sentir rodeado, acompanhado e vivo.

Hoje passei o dia jogada no sofá; lendo jornal, vendo tv e ouvindo o santo barulho da madeira queimando na lareira.
Perfeito esse domingo.
Boa semana, gente!