Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

This is Revolution!!!


Tá tá ta... a Madonna vem (meu ingresso já ta na mão) e o REM também.
Mas nenhum outro grupo me faz sentir o que eu sinto ouvindo The Cult.
Não sei se é pela força da época (começo dos anos 80, tava indo morar sozinha, o Satã bombava e eu era capaz de fazer tu-do que me desse na telha, sem culpas nem preocupações...ai a juventude).
Sempre fui capaz de me envolver com as coisas a ponto de manter minha integridade de julgamento e a possibilidade de cair fora quando bem entendesse. Isso foi o que me salvou de entrar em grandes frias no passado e no presente, e com toda certeza, me protegerá do futuro.
Eu vejo o Ian com aquele estilo pirata gótico cantando She sells sanctuary e me sinto tão forte, tão capaz de dar conta dessa vida e das seguintes... Tenho tanto orgulho de ser quem sou e de ter vivido o que eu vivi!
Não faço idéia do tipo de emoção ou memória auditiva que acende esse fogo em mim, mas é interessante pensar que a gente tem essas possibilidades quando as coisas estão mornas.
Música me catapulta de um extremo de humor a outro.
Sem escalas.
E isso é maravilhoso.

Procurar o que te move, o que te faz sentir bem.
O que te faz sentir assim?



Comigo é o Ian Astbury.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

No Pain No Game.


O Cazuza disse, e todas as gerações seguintes repetirão: O tempo não para.
Daí, quando você ficou pra trás, comeu bola e ficou devendo algum aprendizado, é hora de correr.
Sempre dá tempo da gente se atualizar, se aculturar e se preparar.
Correr atrás é uma arte, e só quem tem inteligência pra saber dos riscos e da dor de se sentir incompleto, é capaz de consertar um lapso, uma dormida no ponto.
Não faz a menor diferença o motivo que te fez ficar olhando a vida passar da janela, nem mais ninguém tem responsabilidade sobre isso.
O problema é todo teu.
Sempre dá tempo de estudar, aprender uma língua, fechar a boca, mexer a bunda, fazer regime, parar de fumar, pedir desculpas, arrumar as gavetas...
Enquanto tem vida, tem tempo.
Mas ele é rápido, e não espera.
Não adianta resmungar.
Move, move, move!!!