Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

O mundo, decididamente, tem salvação.




"O corpo de Bombeiros resgatou nesta sexta-feira um bem-te-vi que ficou preso na linha de uma pipa em cima de uma árvore localizada na Alameda Santos, na Consolação, em São Paulo. Uma viatura com escada foi utilizada para chegar ao pássaro.
O bem-te-vi teve ferimentos leves e teria sido encaminhado para tratamento por um morador da região. " Portal Terra.



Nem vou dizer mais nada, que nem precisa.

Se o Caio fosse PM (coisa que ele jamais seria, estamos no campo das hipóteses) ele seria bombeiro, com toda certeza.


beijos

Desconserto


Três meses.
É tempo demais.
Eu continuo envelhecendo um ano por dia.
E os dias não esperam que ele me procure, não esperam por mim e não me trazem nada de bom.
Essa chuva me machuca, mas não me adoece, não sou capaz de adoecer ainda mais.
O frio já se viu bem recebido e sabe que está em boa companhia.
Esta rua maldita, cheia de poças, buracos, remorsos, sujeira, desejos e perguntas.
Perdi a vontade, a vergonha e os sentidos há tantos silêncios, que nem sou capaz de lembrar quando.
Os faróis me iluminam como se eu fizesse parte desse muro molhado horrível.
Por algum tempo, tive vergonha de seguir minha vida sem ele, de me saber sem ele e de me saberem completamente sem ele.
Como algo pode ser completo sem ele?
A vida em preto e branco, o frio, o cigarro e a dor.
O alto do prédio surge em meio a árvores encharcadas de água da chuva.
Eu sorrio ao lembrar o poeta português indagando o quanto da água salgada do mar são lágrimas... se minhas lágrimas fossem doces, e se eu ainda tivesse lágrimas...
Mas ele nunca me procurou.
Não responde cartas, não retorna ligações nem liga o celular.
Nunca é tempo demais.
Ele simplesmente me esqueceu.
Entro no prédio com pressa e o porteiro de sempre, sempre distraído, sempre preguiçoso, sempre sem me notar, mantêm sua rotina.
No elevador, chego a sentir o cheiro dele, vejo suas mãos tão brancas e seus olhos maravilhosos.
Por um momento, assim que o elevador pára no oitavo andar, eu me dou conta de que ele deve estar fora da cidade. Sempre foi tão ocupado, tão importante e tão preocupado. Sempre teve uma vida cheia de compromissos. E sei que um dia, assim que ele tiver tempo, vai me procurar. Aí, quem sabe eu possa contar do que o médico andou falando sobre meus exames e que alguma coisa aconteceu com a pensão que deixei de receber.
Ele sempre disse que cuidaria de mim, e ele é um filho maravilhoso.
Só está meio ocupado.
Graças aos céus, dou meia volta e refaço o caminho molhado e frio em direção à minha casa, pra onde, muito provavelmente ele esteja telefonando nesse exato momento.



quarta-feira, 5 de dezembro de 2007



Tô mesmo precisando de férias.

Ando me incomodando com as mesmas coisas, e falando as mesmas coisas.

O Brasil ficou em zilhonézimo lugar numa avaliação de desempenho estudantil, e eu me surpreendo e me enfureço com isso.

Como se não visse todo o santo dia na sala de aula, o nível dos estudantes universitários (salvo raríssimas exceções e o pessoal do PROUNI, que é maravilhosa) muuuito abaixo da linha do aceitável.

E não é só preparo, é educação e escala de prioridades. Vivo me perguntando o que eu tô fazendo alí...

Tô cheia de livros bacanas pra ler e fico estudando teorias idiotas de professores que ensinam aquela manada a pensar com a cabeça deles (professores); isso quando não perdem meu trabalho e me dão uma média medíocre.

Na praia eu me vingo, leio seis livros em dez dias. É maravilhoso!

Ai Natal, quer fazer o favor de chegar de uma vez?


Trabalho até dia 10 e daí vou ver a Reco, a Isa, a Pat, a Pituca, a Gianna e a Leda!


bjs cansados.



Pontuando:

As aulas bem que poderiam ter acabado hoje, mas ainda não sei se fiquei de exame de Teorias do Jornalismo. Ai que revolta! Nunca tirei um cinco na FAAP e essa professora desavisada me sapeca um cinco na média do primeiro semestre na UNIP, porque não considerou o trabalho que eu fiz. Pelo menos foi o que ela me disse ... ( é claro que a idiota aqui entregou na data e fez um trabalhinho bem bacana que ela deve ter esquecido no banco de trás do carro e o cachorro comeu).


Meu amigo Alex fez aniversário e nós fomos almoçar. Esse menino é a perfeitura completa e eu sou maluca por ele (não que ele mereça, que é um grandão enjoado e mimado) mas eu não tenho controle nenhum sobre meu gostador! Os amores na turma vão e vem em graduações diversas, mas ele ta lá firmão, desde quando eu não sentava perto dele... Quando ele ficar rico e famoso eu vou vender minhas POP a peso de ouro, e vou aparecer nos programas de TV dizendo que ele era meu amigo mais querido, e que minha cachorra maluca lambeu o chocolate dele!