Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sábado, 1 de agosto de 2009

Coisas que detonam um casamento


O Claudio Pucci escreveu esse texto pro Terra, eu adorei!

1. Ser muito silencioso:
essa aura de mistério é ótima para conquistar a menina, mas depois que a relação engata, ela quer não só saber mais de você, mas principalmente entender o que você sente. A prática do "hum" e "a-hã" como resposta a tudo seguramente vai fazer a moça perder o pique de engatar uma conversação e a relação vai aos poucos morrer.
2. Ser falante demais: A coisa é simples: uma coisa é sua vida ser um livro aberto e a outra é ser um best-seller que todos conhecem a história. Muita espontaneidade e sinceridade sem limites atrapalham.
3. Falta de gentileza: dizem que a intimidade é uma porcaria e com certeza quando nos acostumamos com a pessoa amada, temos a mania de esquecer até mesmo certas regras de educação como dizer "por favor" e "obrigado". Outro detalhe apontado é quando a novidade do relacionamento acaba e a menina se torna menos importante no seu dia a dia. Falta de atenção é um fator decisivo para que ela pense em fazer as malas.
4. Manias cotidianas: aqui a coisa pega, especialmente para os casados. A consagrada toalha molhada na cama, o mundialmente famoso respingo em volta da bacia, e até mesmo a pasta de dente apertada em qualquer lugar apareceram na lista de coisas que mais irritam as mulheres. Para nossa surpresa, isso não importava quando vocês namoravam, mas, acredite, as coisas mudam.
5. Não saber lidar com o nervosismo feminino: taí uma coisa que um dia teremos que dominar. Como lidar com uma mulher nervosa. Porque a resposta é simples, fique quieto. Nunca em hipótese nenhuma traga qualquer tipo de solução no momento em que o vulcão está expelindo lava. Espere ela se acalmar e só aí ofereça a possibilidade de ajuda. Eu sei que é difícil, mas você consegue.
6. Nunca se colocar no lugar dela: as moças sempre reclamam que nós não as entendemos e que pensamos de maneira totalmente diferente. Isso é verdade, mas a recíproca é verdadeira, já que nenhuma mulher conseguiria entender a arte e lirismo de um videotape de XV de Piracicaba versus Bangu, direto de Limeira. Assim, esqueça que você é de Marte e pense venusiano, considerando o que é importante para ela. Ou pelo menos aprenda os rudimentos básicos da língua.
7. Não a tratar como namorada na frente dos amigos: por incrível que pareça, essa foi uma resposta comum vinda de mulheres acima dos 35 anos. Sabe-se lá se o cara ainda está com uma cabeça de 13 anos de idade ou se quer bancar o macho, mas é só estar no meio da "turma" que o indivíduo começa a zombar da namorada. Depois não pode reclamar quando ela comenta de seus atributos físicos deficitários para as amigas.
8. Manter o ego inflado: historicamente o homem domina a relação e chefia a família há milhares de anos. Acontece que as coisas mudaram há mais ou menos 30 anos e hoje as mulheres têm direito à voz ativa no relacionamento. Então não adianta impor a sua visão das coisas a ela. Nem sempre você estará certo. Nem quando achar que ser vegetariano é a melhor escolha.

Só tenho a acrescentar que uma das minhas saídas geniais pra manter um casamento de 20 anos é a separação TOTAL de banheiros. Cada um tem o seu.
Funciona que é uma beleza, acreditem!
bjsbjs

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Redação: minhas férias




Essa semana que a gente passa em Campos todos os anos é priceless.

As crianças vão com a gente, mas como estão grandes e têm os próprios compromissos, eu e o Caio tivemos o tempo todo só pra nós dois.

Fomos tomar chá na Patrícia (nos perdemos feito dois idiotas e demos muita risada), que tem uma casa incrível (quem vai pra Campos e fica restrito ao comércio chique do Capivari, não faz idéia de como aquele lugar é maravilhoso), uma família que é uma delícia e uma amiga pra todas as horas.

A Adriana (que é a primeiríssima dama do Baden Baden e minha irmã- segundo o monitor das crianças...) e o Edmundo jantaram com a gente, ficamos jogados no sofá conversando e de repente já passava da uma da manhã... nunca é o suficiente. Eu continuo com saudades..

A Yara chegou pro aniversário dela com a família (que eu adoro), a mãe Amélia é uma gostosura, os filhos são meus afilhados protegidos em qualquer circunstância (a Milena, que é a oficial e o paraguaio Fefo, que é um fofo profissional). A Ivânia é outra queridona (e me salvou com uma cartelinha de Benegripe depois de eu gastar meu estoque de antigripal com a Sophia e o Caio).

Vimos a Orquestra de Metais de Tatuí na Concha Acústica e eu chorei de emoção, que coisa mais linda. Quando saímos, meu marido taurino, imune a essas frescuras, também estava enxugando os olhos...

Fizemos test drive no carro que o Caio gostou, e eu me livrei a muito custo de fazer papel de barbeira dirigindo um carro gigante de câmbio automático. Sou uma motorista mecânica, não me venham com modernuras...

Mandamos mensagens pra Terra e fizemos pedidos pra serem pendurados na árvore de desejos da Nestlé. O Caio queria o pedido dele no galho mais alto e é claro que o promotor dele era baixinho e tivemos que chamar outro, foi muito engraçado.

O Gregório achou um foco de incêndio na Colônia (antes de começar a chover sem parar), avisou o administrador, ajudou a apagar e virou bombeiro honorário da PM!! Tudo isso, além do trabalho com o show e as duas revisões que eu levei (mas só fiz uma, confesso)

Fora isso, acabei o livro do Chico, comecei outro, dormi, namorei, vi uma perereca no banheiro (que o Caio colocou pra fora e depois a coitadinha ficou na janela tentando voltar, desalojada), joguei baralho, tomei litros de chá, morri de saudades de casa e dos meus bichos e ainda planejei uma repaginada no quintal que vai ser matadora; tudo pra receber os amigos.

Adoro esse frio, adoro o Caio, adoro voltar pra casa e adoro minha vidinha perfeita.

Beijos com o adorador ligado.