Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Pela preservação da integridade física dos pavões.






Ai essa vida...

Contei que tô de empregada nova? Pois é, tô.
A mulher é um fenômeno pra limpar e uma negação pra arrumar (mas nem posso reclamar que minha casa é foda mesmo, com tanta coisinha, enfeitinho e nhé nhé nhé...)
Enfim, quando fui pra Botucatú em janeiro, passei na Camponesa (que é uma loja&restaurante maravilhosa, que vende um artesanato que é a minha cara) e comprei umas galinhas d’angola de madeira pro beiral da cozinha e um pavãozinho de argila pra porta da geladeira. O pavãozinho apareceu quebrado uns dias depois e a dita empregada morreu negando que tivesse quebrado. Fiquei puta, mas não estiquei a história.
Voltei pra Botucatú no carnaval, passei na Camponesa e comprei TRÊS pavõezinhos pra geladeira. Cheguei em casa, e fui avisando que quando o último quebrasse, ela deveria procurar outro emprego.
No dia seguinte, resolvi dar uma arrumada nos ímas da geladeira e deixei um pavãozinho se estatelar no chão. Fiquei beeem puta da vida, peguei os outros dois pra recolocar e reparei que um deles tinha a crista meio torta e dei uma arrumada, e foi quando a cabeça do infeliz saiu na minha mão. Dois pavõezinhos a menos em menos de cinco minutos.
Peguei o último, tirei o íma e colei com cola quente num dos armários da cozinha ( a Sophia viu e disse que a porta ia acabar batendo e quebrando o coitado, mas eu nem dei muita bola).
Hoje fui pegar alguma travessa na hora do almoço, e a porta bateu no derradeiro que se esfacelou sem nenhuma dó nem piedade, me deixando histérica e pasma no meio da cozinha.
Agora me digam, o santo dessa mulher é forte ou não é???
Ai ai ai...