Como comentar aqui:

Se você não tem conta no Google ou no Blogger, vá em "comentar como" e preencha seu nome, não precisa de URL (pode ficar em branco). Depois é só "postar comentário".
bjs

sexta-feira, 26 de março de 2010

Antes do fim


Daqui a pouco sai a sentença dos Nardoni.
Pra mim o julgamento é formalidade, eles estão condenados e ponto.
Ninguém NUNCA vai saber exatamente o que aconteceu naquela noite, mas o público (eu inclusive)resolvemos que foram eles, que o cara é um psicopata casado com outra psicopata.
Isso é muito perigoso, mas é bem fácil de fazer, né?
Não acho que eles sejam inocentes, só acho que um julgamento devia ser (sei eu lá como) mais isento da comoção popular e da influência da mídia (a gente sabe como é escrever que o MST "ocupou" ou "invadiu" uma área ociosa...)
O Cembranelli é o mocinho - mesmo com aquele olhar de Quasímodo (ai credo)- e o outro advogado, o da defesa, que nem eu nem a maioria de vocês deve lembrar o nome tá lá se matando pra fazer a obrigação dele e atura a fúria da turba amalucada.
Ninguém entende porra nenhuma de senso de justiça neste país.
Prontofalei.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Sou a mãe mais sortuda do mundo


Eu tenho tanta coisa e quero outras tantas.
Tem coisa na minha vida que (embora seja difícil) precisa ser terminada.
Tenho vontades, tenho medos, tenho isso e tenho aquilo... como todo mundo.
Mas o mais importante SÓ eu tenho: a Sophia!
Essa menina enche meu coração de pedra quando chega e me chama pra conversar.
É minha amiga, minha sombra e meu bebê.
Sou meio mãe de tanta gente, e esse amor eu aprendi com ela.
É com ela que eu dou risada, é ela que eu beijo e cheiro, é o abajur do quarto dela que eu apago toda noite (ela não gosta de acordar com ele aceso). O cabelinho dela tem cheiro de bebê e as mãos (sempre ao natural) são lindas.
Ela é cuidadosa, caprichosa e atenciosa.
Ela é chata e azeda.
E não tem um dia em que eu não agradeça MUITO por ter essa filha.

(Esse bilhetinho eu achei no meu quarto esses dias. Sem nenhum motivo especial)